terça-feira, 14 de maio de 2013

Amamentando um alergico


 Depois que eu descobri a alergia do Nicolas, foi uma busca incessante para conseguir me livrar completamente do leite e do ovo.
  É muito mais complicado que parece, primeiro lugar porque você não pode confiar no que as pessoas dizem, e nem confiar 100% em rótulos também. Você tem que ter um grande conhecimento sobre a alergia, caseína é leite, lactato de sódio não é, e corante caramelo pode conter traços de leite. Ler rótulos é só o começo.
  Dá vontade de desistir? Sinceramente? Dá. Principalmente quando acontece algum erro na dieta, ver o filho sofrendo é terrível. Mesmo que não seja tua culpa, mesmo que seja culpa de um rótulo que não é totalmente seguro, ou de alguém que não te falou direito oque ia naquele alimento, você sempre vai se sentir culpada. Dá vontade de apelar pro leite artificial? Dá.
  Mas estamos aí, comemorando 4 meses e meio de aleitamento materno exclusivo! Rumo aos 6 meses, e depois aos 2 anos! Eu me sinto feliz e vitoriosa hoje,mesmo que amanhã eu desista, ou meu leite seque ou eu pare de amamentar por qualquer outro motivo,ainda sim me sinto vitoriosa, pois eu, hoje, posso dizer que venci muitos desafios e me esforcei muito pra que a amamentação fosse possível pra mim e pro meu filho. Sim EU,eu completamente. Porque eu me sinto bem sozinha nessa minha "luta diaria". Quando meu filho está mal milhões de dedos apontam no meu rosto porque me descuidei? por que não dou leite artificial? coitadinho dele... Mas quando ele está bem, todos insitem pra que eu coma, me chamam de louca pelo meu cuidado excessivo, riem da minha preocupação. Nem sempre é facil. Sou eu que cuido do que eu como, eu que erro, eu que amparo meu filho com dor. Eu abdico do meu corpo para alimentar meu filho. A amamentação foi e é algo que depende 100% de mim, e por isso que sinto que é uma conquista grandiosa. Isso não me faz melhor que alguém que por qualquer motivo não amamente, longe disso, mas me faz melhor que eu mesma se tivesse desistido, sem ao menos tentar.

Ta, mas como eu consegui isso?

Primeiro lugar descobri os leites ocultos, o que era perigoso e o que não era. Abdiquei de vez de comer fora e comer produtos de padaria ou que eu não pudesse ler o rótulo. Nem o pãozinho d’agua não era mais seguro, o risco de contaminação dentro de uma padaria é exorbitante. Tenho que ficar atenta também a contaminação cruzada,por exemplo o presunto é um alimento que não pode ser consumido, já que é cortado na mesma maquina que corta o queijo. Lingüiça toscana possui traços de leite, sabia? Eu também não, descobri na prática com lindos 9 dias que meu filho passou mal depois de meia lingüiça que eu comi. Tem coisa que a teoria não fala, muita coisa é testando no dia-a-dia mesmo. Anticoncepcional, suco de pacotinho, caldo maggi. isso tudo foram coisas que eu nunca imaginava e que contém leite ou traços.

 Pãozinho agora é só o feito em casa, sorvete é o de soja que minha mãe inventou esses dias. Bolacha já achei 4 marcas que não contém leite ou traços. Caldo de galinha só da arisco, que não tem traços de leite. Chocolate é mais de 6 reais o tabletinho pequeno, em uma loja especializada em esse tipo de produtos, mas é uma delícia. Iogurte tem de soja da batavo, e inclusive é muito bom. Larguei mão dos embutidos,defumados e frios em geral, mas tem uma lingüiça defumada de frango que é divina que eu posso comer. Até brigadeiro com leite condensado de soja já fiz! Só o bolo que eu ainda não consegui acertar sem leite e ovos... tenho umas receitinhas pra testar e compartilho depois com vocês.

Enfim, com essa experiência posso perceber que MEU DEUS, como consumimos derivados lácteos!! Tem leite em praticamente tudo, pra que tanto leite?? Semana passada comi um omelete com permissão da pediatra pra ver como andava a alergia do Nicolas,e foi horrível, passei mal depois, pode isso? Bem, acho que já me acostumei tanto que não tem mais me feito falta, no começo parecia impossível, agora já se tornou natural. Não é a coisa mais legal do mundo ir em um aniversário infantil e não comer absolutamente nada, mas também não é a pior coisa do mundo. Hoje vejo como consumimos produtos industrializados... Cheios de tanta coisa que nem sabemos o que significa. O que é, afinal, açúcar invertido? O que é esse tal corante tatranzina?

Mesmo depois que meu filho estiver curado dessas alergias, com certeza vou levar uma vida com muito menos leite e muito menos industrializados. Um passo mais perto de uma vida mais natural e saudável.

De qualquer forma, você deve estar se perguntando por que cargas d'agua eu persisto e me esforço tanto se é só dar o leite de lata?
Porque o olhar de um filho enquanto mama é algo que só quem já amamentou entende, é mágico, é íntimo, é maravilhoso. Porque pra mim a amamentação é algo muito gratificante, porque ver meu filho crescendo e engordando acima da média, com uma saúde de ferro não tem preço que pague! Porque faz bem pra ele, porque faz bem pra mim. Porque pro meu filho não é só alimento, é carinho, proteção,amor.
 Por isso já adianto, não pretendo desistir tão cedo! Se um dia virem eu por ai com um baita rapaz de 2 anos de idade mamando, e vierem me falar que é feio, não vou dar a mínima, pois vou estar tão feliz de ter conseguido chegar lá que não vou nem ouvir. Pode ser que eu não consiga, como a maioria fala, mas uma coisa eu tenho certeza: vontade de persistir e leite no peito eu tenho de sobra!

#rumoaos2anos


3 comentários:

  1. Fiquei emocionada com o post. Minha filha tb é APLV e o mais difícil é as pessoas entenderem os cuidados que precisamos tomar. Descobri faz dez dias e ainda estou me acostumando. Que Deus nos ajude!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é facil mesmo, o pior é lidar com gente que não sabe nada sobre a alergia e fala como se soubesse mais que a gente!! Boa sorte nessa jornada nada facil de ser mamae de alergicos

      Excluir
  2. meus olhos se encheram de lágrimas quando li seu post. tenha uma bebe de 5 meses com aplv que foi descoberta quando ela estava com quase 4 meses. até saber que ela tinha aplv ela sempre resistiu a mamar no peito, muitas vezes chorava de faltar o ar, ela de um lado e eu do outro, sempre quis amamentar, me preparei na gestação para isso, massagem nos seios, sutian de amamentação, comprei camisas com botoes que facilitariam a amamentação, porém tudo foi por água abaixo no momento que minha filha não mamava de jeito nenhum, só sofria,perdia o ar, se jogava para trás, momentos muito sofridos, muitos diziam que ela tinha preguiça de mamar, que não gostava de leite, e até a pediatra especialista em alergia não conseguir diagnosticar a alergia antes que minha filha largasse completamente o peito, desde a segunda semana de vida já complementava com a mamadeira de LA, cada vez mais ela recusava o peito, eu juro que insisitia, comprei todos os bicos de silicone que via disponível nas lojas pois tinha esperança que talvez ela não conseguia pegar o bico do peito, ordenhava o leite e dava na mamadeira, mas ela não mamava em paz, gritava, saia lagrima dos olhinhos, me partia o coração, eu sabia que algo estava errado, mas o que? pedia a Deus que me abrisse os olhos e me mostrasse o que estava acontecendo com minha pequena, que já não ganhava peso necessário, que difícil!!
    Foi depois de muito diagnostico errado que a pediatra suspeitou da aplv,e mandou mudar o leite e ai foi a gloria, hoje ela mama em paz, mama tudo sem sofrer, sem que o leite lhe cause dor. Só de lembrar que o leite lhe fazia o estomago doer tanto a ponto dela perder o ar, e eu muitas vezes insistia tanto, mesmo ela chorando eu continuava colocando o peito ou a mamadeira na boquinha dela, isso me faz chorar de tristeza, mas graças a Deus, Ele abriu os olhos da medica que identificou o que ela tinha e agora está bem apesar da restrição alimentar. Se o diagnostico tivesse acontecido antes dela largar o peito eu poderia ter feita a dieta de exclusão e tudo seguiria bem. Mas Deus sabe de todas as coisas não é...agradeço a Ele por termos descoberto e agora ela se alimenta sem sofrer.
    Parabéns Mamãe, não é fácil ter nossos filhos com aplv, mas por eles faremos qualquer coisa.

    ResponderExcluir