quinta-feira, 29 de novembro de 2012

31 semanas


   Eu não sei se é assim pra todo mundo, mas minha barriga parece que cresce do dia pra noite! Sério, é muito estranho... por várias semanas ela não cresce nada, continua igual, ai de uma semana pra outra PUF aparece uma barriga beeem maior no lugar da anterior! Quer ver a prova? olha essa foto de 29 semanas... E essa aí de cima que eu tirei hoje com 31! E é sempre assim desde o começo, eu lembro nas 19 semanas quando minha barriga deu A crescida, todo mundo se espantou com a diferença da foto de 18 semanas pra aquela, super estranho!  Bem, graças a Deus ainda estou sem estrias e meu umbigo ainda está no lugar dele, tenho me preocupado um pouco com as estrias pois minha pele tem coçado um pouco e eu sinto ela esticando (aloka)... Tenho bastante receio com estrias porque tenho muuuitaaaa, tenho nos lados de antes da gravidez, nas coxas, até no joelho! Então estou tentando me cuidar o máximo possível pra não engordar tanto, passando todo o tipo de óleo que me sugerem, tomando muuuuita água e suco e quero ver se semana que vem passo babosa que me indicaram hehe. 
  As coisas mudaram essa semana, sei la, parece que tudo está diferente, comecei a sentir o peso do terceiro trimestre. Desde domingo tenho sentido mais dor no baixo ventre que eu sentia antes e comecei a sentir uma dor terrível no osso púbico. Quando eu digo terrível é terrível MESMO, segunda-feira até mandei uma msg pra médica (só faço isso em casos extremos) perguntando se era normal.... Ela respondeu que eu deveria repousar e não ir trabalhar no outro dia, porém no outro dia como acordei bem fui na hidroginástica de manhã e como tinha auto-escola a tarde e minha mãe não estava em casa, caminhei 1hr e meia no total pra ir e voltar. Quando chegou a noite eu não conseguia caminhar, gente! Sério, parecia uma velha, caminhando meio corcunda, só fui pra aula porque tinha que ir meeeesmo, e não sou de frescuras, mas acabei voltando no intervalo. É uma dor super estranha, parece que meus ossos estão abrindo! (e devem estar mesmo!), agora ultimamente eu nem sei mais se é dor embaixo da barriga ou se é dor nos ossos porque quando eu fico em pé dói tudo naquela região que nem sei mais dizer o que é o que. O nosso amado google disse pra mim que é normal, e que muitas gestantes sentem dor nesse lugar. Acho que além dos ossos estarem abrindo o bebe está pesando também, pois minhas costas também estão doendo. De qualquer forma tenho tentado levar a vida normalmente, só que mais light, fui na hidro hoje de manhã e peguei mais leve e não vou caminhar hoje. Essa semana também comecei a me sentir mais cansada, obviamente que isso já venho sentindo desde o começo da gravidez, mas essa semana esteve mais evidente. Na hidroginástica eu não consigo mais acompanhar o ritmo de todo mundo e sempre tenho que parar na metade dos exercícios porque estou sem ar ou muito cansada. O meu máximo de caminhada agora é 15 minutos, depois disso começo a suar feito um porco e hiperventilar, além da dor nas minhas pernas. Sério, eu sabia que gravidez era barra mas não imaginava que a gente perdia tanto condicionamento físico assim! Logo que engravidei meu costume era caminhas 50 min passo rápido, isso sem cansar, era completamente normal pra mim. Quando comecei a hidro, a aula terminava e eu ficava ainda com gostinho de quero mais, de "ainda não cansei tudo".
   Estou me sentindo muito pesada agora e toda a disposição que eu tinha no segundo trimestre ficou pra trás... Não quero me gabar mas eu sou animada, difícil alguém me chamar pra fazer algo e eu não querer, já agora estou pagando pra ficar em casa. 1º lugar pelo fato de ter que achar uma roupa que de certo, 2º que geralmente estou cansada e com sono, 3º que eu sei que vou ficar 15 minutos e já vou me irritar ou com a fumaça dos outros, ou com a comida que demora, ou com o barulho alto (...) Até o Jean tem percebido, e olha que eu tento não demonstrar minha insatisfação, eu coloco um sorriso no rosto e falo: vam'bora!!! mesmo que eu só queira dormir por 12 horas seguidas, mas mesmo assim ele veio me falar que ultimamente é melhor a gente ficar mais em casa... E ele tem razão. Já falei que to parecendo uma velha? Acho que é bem aquilo que dizem... No terceiro trimestre a gente começa a querer se preparar pro parto e pra tudo e quer se isolar do mundo, pra mim se eu pudesse me enfiar no meu quarto e sair de lá só depois que o Nicolas nascesse estava perfeito. Até cheguei a pensar que estava com depressão, que não era normal eu estar me sentindo assim, que algo devia estar errado. Mas agora percebi, é só meu corpo se preparando mesmo... Apesar das dores eu estou feliz (porque sentada as dores são quase inexistentes e deitada elas desaparecem!) tentando preparar tudo pra chegada do meu príncipe, e olha que já está tudo quase pronto, hein? Vou agora terminar de arrumar as coisas pro meu chá de bebe que é domingo, estou super ansiosa e animada, está ficando tudo lindo!!!
Beijos

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Casamento da madrinha

Amorzinho, noiva com um baby na barriga, noivo, eu e Nicolas

   Domingo foi um dia muito especial, minha amiga, uma das madrinhas do Nicolas, casou! Foi tudo lindo, eu tive o prazer de ser madrinha da união, e vou ter também o prazer de ser madrinha do baby Davi ou da baby Luiza que se encontra na barriguinha dela. hehe.  Estou muito animada com a chegada desse bebe, que com certeza vai crescer com o Nicolas, se bobear estou mais ansiosa que ela pra saber o sexo haha. Agora vai ser minha companheirinha de gestação por um tempinho, estou muuuuito feliz com isso, e não é pra estar? Desejo tudo de bom pra esse casal... são pessoas muito boas mesmo!
   Como podem ver na foto estou GIGANTE! agora sim posso dizer que minha barriga está super grande, explodindo e inchei um pouco nos pés e mãos... Por sorte esse mês pelo que tenho visto engordei muito pouco, menos de 1 kg, vou ver semana que vem na consulta com a G.O.
   Estou na correria esses dias, trabalho pra entregar, o resto das coisas do chá de bebe que vai ser domingo pra organizar, autoescola e ontem me deu a louca de no meio de tudo isso lavar as roupinhas do bebe! Vou lá que tenho muita coisa pra fazer!!
Beijos


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Sobre esse amor que me invade...

  Antes de eu engravidar achava bobeira grávida que dizia amar seu bebe antes dele nascer. Confesso, achava a coisa mais nada a ver do universo! Como que você pode amar alguém antes de conhecer? Tipo aqueles casais que só namoram pela internet e dizem que se amam. Depois que o bebe nasce você ama, sim, conforme vai convivendo...  Mas ser mãe é um eterno cuspir pra cima. Aprendi uma coisa: NUNCA fale ou julgue algo pelo qual você ainda não passou. A gente ama SIM, antes de eles nascer, antes de ver o rostinho deles antes de tudo isso. Posso dizer que o meu amor começou no dia que eu ouvi o coraçãozinho dele bater, chorei e não conseguia acreditar que era verdade. Conforme a barriga vai crescendo a gente vai amando mais, cada chutinho, cada ultrassom o amor cresce. 
  Quando eu estava doente, com febre, sozinha no hospital, tremendo e vomitando eu só pedia pra Deus cuidar do meu filho, não pedia nada por mim, só repetia isso: "Cuida do meu filho, cuida do meu filho, cuida do meu filho" em pensamento. Até agora peguei esse costume, qualquer coisa que acontece que me da medo, todo dia antes de sair de casa, quando alguém começa a acelerar um pouco mais o carro, quando qualquer mínima coisa que represente perigo acontece na mesma hora repito o mantra: cuida do meu filho, Senhor, cuida do meu filho. 
  É uma coisa muito surreal, eu não sei explicar... Não tem explicação e realmente não faz sentido, mas eu garanto, a gente começa a amar muito antes deles nascerem.  Hoje, pra mim, meu filho é a coisa mais importante da minha vida, e ele nem nasceu. Só desejo toda a felicidade do mundo pra ele, em primeiro lugar. Você até pode achar que eu estou exagerando, que não é assim, mas realmente, a gente só sabe depois que engravida.
  É um amor engraçado, tem um serzinho ali que depende do teu corpo pra sobreviver, um bebezinho ali vivendo dentro de você, que você sente cada movimento, que você sabe as preferencias, que interage com você, não é nem um pouco como eu pensava. É uma delícia ficar provocando ele, tentando achar qual parte do corpo esta onde, empurrando ele e sentindo ele empurrar de volta. Eu acordo com ele mexendo, pra dormir tenho que esperar ele se acalmar, sempre que estou com fome ele começa a chutar la de dentro como se quisesse dizer: "cadê o rango, mãe?". Pode parecer bizarro mas ele tem preferencia por algumas músicas e por algumas pessoas. Pra mim, o laço mãe-filho começa no momento do positivo. 
  Será que estou louca? exagerando? carente? Não sei se isso é normal, só posso dizer que te amo filho, que te vivo.


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Ninguém acredita em nós

Nossa pequena grande família

   Ultimamente só tenho vindo reclamar aqui no blog, rs. Mas poxa tenho ficado muito indignada com as pessoas a minha volta, ninguém bota fé em mim e no meu namorado!! Não basta você fazer todo o possível e o impossível pra dar o melhor pro teu filho, se dedicar o máximo, ir atrás, pesquisar, fazer de tudo o que está ao seu alcance, mesmo assim você não está pronta pra ser mãe, já que nunca teve um filho! Não aguento mais ouvir: você nunca teve um filho, não sabe como é. Não, eu realmente não sei, mas eu VOU aprender. Eu já cuidei de criança e estou disposta a fazer o melhor pro meu filho. Mas isso obviamente não é o suficiente, pros outros eu sou uma pata que vou afogar a criança no primeiro banho, é essa a impressão que eu tenho.
   Desde que engravidei tenho que ouvir "você sabia que não pode pintar o cabelo ne?" (não eu não sabia, estou com essas raizes gigantes por opção mesmo, porque acho bonito), "ih, mas você não pode nem beber nem fumar agora!!!" (sério? não sabia... e usar drogas, tem problema?), "tem que comer frutas e verduras ta bom?" (nossa, mas minha médica jurou de pés juntos pra mim que se eu comer só salgadinho e bolacha recheada vou ficar super saudável!). E isso ainda era suportável, já que é tudo na melhor das intenções, ai agora depois que meu bebe está quase nascendo tive que ouvir:

meu pai falando:
 - "É melhor você comprar um termômetro de banheira" (eu não vou queimar o nene, ok? de qualquer forma, achei melhor seguir o conselho)

minha mãe falando:
 - "... mas eu não vou deixar você dar banho até o bebe ter uns 20 dias pelo menos!" (ah, então você NÃO VAI DEIXAR eu dar banho no meu próprio filho? ahn?? isso nem sentido faz)
- "você só vai morar com o Jean e o bebe depois que o bebe estiver grandinho e não tiver perigo!" (perigo do que? de eu matar o bebe??)
- "... banho de balde? capaz, eu não vou deixar você fazer isso no bebe" (novamente DEIXAR? o filho é de quem mesmo?)
-"arruda no umbigo? CAPAZ, não seja loca EU sei como cuidar" (sem comentários)
-"tem que comprar esses pagãozinho" -"mas eu nem sei como usar isso mãe..." -"EU sei como usar, EU vou por no bebe"

minha tia falando:
"- mas você não pode viajar com o bebe antes de ele ter 1 ano, porque eles sofrem muito..." (foi mal mas to planejando viajar la por julho, ele vai ter uns 5 meses, rs.)
-"eu conheço várias moças que trabalham de baba, se quiser o telefone eu te passo!" (eu vou ficar o dia todo em casa, pra que baba??)
-" a tua mãe vai ter que parar a faculdade pra te ajudar a cuidar do bebe" (ahn??????? fiquei muuuuito brava com essa)
"- você vai ter que tirar os cachorros de dentro de casa..." (só que não.)
"-tem que comprar álcool gel e enrolar o nene bem porque todo mundo vai querer pegar" (e eu vou deixar todo mundo pegar ele no colo mesmo, sem nenhum problema!)

uma conhecida da minha mãe falando:
"-se você quiser ficar com teu filho não vai poder sair aqui da casa da tua mãe, porque ela não vai deixar você levar ele" ( que? então ela vai sequestrar o meu filho? )

a empregada aqui de casa falando:
"- tua mãe vai querer roubar teu filho de você, a minha foi assim com a minha primeira" (sequestro 2???)

minha sogra falando depois de eu mostrar uns vídeos de banho de balde:
"-ih... mas tua mãe não vai deixar você dar banho assim no nene" ( pela milésima vez DEIXAR? a mãe sou eu, não?)

minha mãe falando quando eu cogitei me mudar antes do bebe nascer:
"-mas e se ele precisar de médico quem que vai levar?" (resposta que eu dei: o pai ou a mãe dele!!)
"- você nunca teve filho, não sabe como é, não vai conseguir sozinha" (eu não vou estar sozinha, a criança tem pai)

E essa é só uma pequena parte que eu lembrei. Ninguém bota fé em mim e no Jean. Que saco!! Eu vou cuidar do meu filho, independente de todo mundo ficar achando que eu não sou capaz disso eu SOU SIM, e se eu não sei cuidar de um RN eu aprendo. Todo mundo consegue, por que eu não conseguiria? Nossa esses comentários tem me incomodado demais, demais MESMO, aí minha mãe não sabe porque quero sair daqui de casa o mais cedo possível. Falei pra ela que queria me mudar antes do bebe nascer porque eu não aguentava mais palpite, e que é algo sem pé nem cabeça ela me proibir de dar banho no meu próprio filho. O que eu ouvi? "eu nunca disse que você não pode dar banho... e você não vai conseguir cuidar sozinha no começo". Ah por favor, eu sou grandinha suficiente pra fazer um filho também sou para cuidar dele. Incrível que se eu tivesse delegando meu filho, abandonando na casa da minha mãe e nem ligando pra ele seria completamente normal, agora porque eu me importo e quero fazer do meu jeito, to errada, não posso, não consigo. Até a roupa que eu quero comprar pra ele tenho interferência "compre desse jeito, de tal cor, de tal tamanho blablabla". Ui, não aguento mais. Como agir nessa hora? Não sei se me mudo antes do bebe nascer porque ai vamos ter que pagar aluguel pois nossa casa ainda não está pronta, e eu sei que é um gasto a mais e desnecessário e que aqui tem empregada e tudo pra eu passar a dieta. Mas se eu mudar depois vou ter que ficar ouvindo um milhão de palpites e tendo que ou brigar com a minha mãe pra eu fazer do meu jeito ou ter que pedir permissão pra dar banho nele. O que eu faço? me imponho? me mudo? fico aqui e de boa e espero o bebe nascer pra ver como vai ser?


mamãe...
papai


Nós três e um amor que eu jamais imaginei que poderia existir.

sábado, 17 de novembro de 2012

Tamanho da barriga, saudade da vida de não-grávida e medo do parto




Então minha barriga está assim! Muito grande? muito pequena? Todos os dias escuto comentários de ambas as formas, o que eu mais odeio é: "até o final da gestação você vai virar de costas, tua barriga está gigante!!", esses dias ouvi: "você está do mesmo tamanho que eu quando ganhei meu bebe". Só que ao mesmo tempo e na mesma proporção escuto: "cade tua barriga?? parece que não cresce" "capaz que você está de 7 meses só com essa barriguinha!" "ta muito pequena!!". Não tenho a mínima noção se está muito grande ou muito pequena, fico pegando fotos na internet de pessoas na mesma semana e comparando, sempre a minha está menor, porém essa semana não queria postar as fotos que tirei da minha barriga, achei grande demais e fiquei com vergonha (???????) hahaha. 

___________________________________________

Tenho tido pensamentos muito controversos nesses últimos dias. Ao mesmo tempo que tudo está passando tão rápido, parece que faz uma eternidade que eu estou grávida. Sexta, pela primeira vez desde que eu engravidei eu fiquei com uma vontade imensa de sair, curtir um pouco, ir numa balada, sei la!! (obvio que não fiz isso). Queria espairecer um pouco, sair sozinha mesmo, passar a noite festando, meu deus há quanto tempo não faço isso! Sei la... mais de um ano, não tenho noção de quanto tempo. Eu tenho objetivos na vida, e sei que meu relacionamento e meu filho são muito mais importantes que qualquer balada, mas que eu senti falta, senti! 
Ao mesmo tempo que amo demais meu namorado e meu filho e não consigo ver a minha vida sem eles tenho sentido falta se ser sozinha, solteira, sem compromisso. Eu sei que tudo na vida são escolhas e não estou reclamando, pois não me arrependo das minhas. Porém, acho que o fato de eu ter apenas 18 anos está começando a pesar no tanto de responsabilidade que eu tenho.
 Como eu sempre tive muitas responsabilidades, comecei a trabalhar com 15 anos e comecei a faculdade antes de completar 17, não me via como uma adolescente, nunca me vi, quando engravidei eu trabalhava 8 horas e meia por dia e a noite fazia faculdade de Eng. Civil (não estou mais trabalhando mas continuo a faculdade) e estava em um relacionamento sério, não ia em baladas e nada desse tipo, e nunca me fez falta, quando descobri que estava gravida encarei muito bem, achava que estava pronta para a responsabilidade que isso traria. Mas eu também sinto falta de algumas coisas de antes da gravidez, apesar de eu jurar pra todos que não. Poxa, eu sinto saudade de tomar uma cerveja com meus amigos e ficar ate 3 da manhã no bar (eu continuo indo em bar, mas sem cerveja e não aguento ficar nem até meia-noite). Eu sinto falta de ir em uma festa e passar a noite dançando, eu sinto falta do meu corpo, dos meus peitos que eram lindos e agora estão gigantes e desproporcionais, sinto falta de passar a noite bebendo com meu namorado e das nossas conversas sem pé nem cabeça bebados, das nossas divagações políticas numa mesa de bar. Sinto falta de sair por ai fds sem me importar se a música alta esta estressando o bebe, ou sem ficar mal-humorada pois estou cansada e com sono. Sinto falta de comer e não ter azia ou dor de estomago. Sinto falta de andar de moto com o meu namorado num sábado de sol. 
Eu amo meu filho mais do que tudo, e jamais imaginaria minha vida sem ele e por incrível que pareça, adoro estar grávida! Sinto uma plenitude incrível e adoro minha pancinha. Mas hoje senti falta de não estar grávida, senti falta de ter apenas 18 anos. 


Que desabafo! tirando esse sentimento estranho de saudade do passado, estou muito bem! Bem ansiosa pra ter meu bebe aqui e não paro de pensar nele. Todas as situações que vivo penso como seria com ele aqui. Todos os dias eu penso que roupa eu vestiria nele de acordo com o clima. Quando não tenho nada pra fazer monto combinações e fico imaginando meu lindinho dentro delas. Organizo e reorganizo roupinhas, calçadinhos, cobertores. Estou terminando de preparar tudo para o chá de bebe, quase todos os convites já foram entregues e depois do chá pretendo lavar as roupinhas. Ainda estou um pouco preocupada com o fato do meu bebe estar sentadinho, espero mesmo que ele tenha virado... Ando com um pouco de medo do parto, tanto normal como cesário já que eu ainda não sei qual será. Acredito que eu sou capaz de ter parto normal, mas tenho medo de me encher de esperanças e no final dar algo errado e eu ter que partir para uma cesárea, por isso estou considerando as duas possibilidades. Do parto normal tenho medo de não conseguir suportar a dor, do meu bebe não conseguir nascer, de terem que usar o fórceps, de algo dar errado por minha culpa, de ter uma episiotomia, de passar muitas horas em trabalho de parto, de não saber reconhecer o trabalho de parto real, e de acabar nem entrando em trabalho de parto (meu maior medo). Da cesária tenho medo que a anestesia de errado, ou que não pegue e eu sinta tudo (aloka), que machuquem o bebe na hora de tirá-lo, de que ele sofra, de que façam algo errado e eu não possa mais ter filhos (aloka 2), de meu leite não descer, de eu sentir muita dor e não conseguir cuidar do meu bebe nos primeiros dias do pós-parto, de que eu seja induzida a uma cesária sem a real necessidade. Ufa, quanta coisa né? Minha mente está realmente fervilhando de coisas, em 10 semanas ou menos meu bebe estará aqui, não consigo nem acreditar!! Estou 100% voltada ao bebe, só penso nele. Mas penso que tudo isso é normal, essa reta final da gravidez não é moleza não! Tenho fé que tudo vai dar certo!!

 É isso aí, beijos a todos e bom restinho de fds. :)


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Será que o bebe virou???

Então meu bebe que estava cefálico desde os 5 meses resolveu ficar pélvico, como eu falei no ultimo post. Eu sei que só um profissional habilitado ou um exame de ultrassom pode dizer a posição do bebe mas... acompanhe comigo:
  Quando o bebe estava cefálico eu sentia ele soluçar la em baixoooo da barriga, bem no pézinho, depois de um tempo comecei a sentir ele soluçar mais em cima, bem em cima na verdade, minha tia sentiu ele soluçando e me falou: "acho que a cabecinha dele está pra cima" eu achei que era loucura da minha tia... mas fui fazer a eco e pimba: cabecinha pra cima!
  Acontece que ontem de tardezinha o Nicolas começou a se mexer diferente, empurrando minha barriga, a ponto de doer, como se estivesse se virando... E de noite começou a soluçar pra baixo de novo!! hoje de manha novamente soluçando lá em baixão.

Será que ele virou ou é algo da minha cabeça? vou marcar uma eco pra 32 semanas pra confirmar hehe :)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Desenvolvimento do baby entrando na 29ª semana

Como o bebe deveria estar:
Esta semana, seu bebê ultrapassou a barreira de 1 quilo e pode medir 38 centímetros (de acordo com outros sites 35 cm)
Você chegou à reta final. O terceiro e último trimestre da gravidez começa oficialmente na 29a semana, que se inicia agora, é vai até o termo, a conclusão da gestação, entre 37 e 42 semanas. O ganho de peso é mais rápido: a maioria das mulheres engorda em média 5 quilos só neste trimestre.

O bebê abre os olhos e vira a cabeça se perceber uma luz forte fora da barriga. A camada de gordura sob a pele está se formando.

Mexendo para lá e para cá, ele curte um vidão dentro do útero. Nesta semana, seu bebê começou a adquirir mais gordura no corpo e está ficando rechonchudo. O cérebro continua em plena atividade, numa evolução constante, que continuará quando o pequeno nascer. As retinas também passam por um período de aprimoramento e já captam com mais precisão a luminosidade do ambiente. A visão está bastante aguçada.

Em seu balé gracioso, o bebê encontrou a melhor posição para vir ao mundo. Por volta desta semana, ele se posiciona de cabeça para baixo no útero - posição chamada de vértex - e assim permanecerá até o parto. Seus sentidos estão operando em sintonia fina. Os órgãos continuam amadurecendo e novas células se multiplicam a todo instante. Quem supervisiona tudo isso é o cérebro, que está superativo.

O bebê vive a fase do apogeu do crescimento, que vai da semana 28 à 37, com um ganho de 200 g a cada sete dias.

Como o meu bebe está:

Está com 34 cm e 1,169 kg já começando a ficar apertadinho na barriga da mamãe. Está pélvico com dorso à direita, sentadinho! Agora esperamos que ele vire até a próxima eco que vai ser com 32 semanas. Placenta com grau 0 e tudo dentro dos conformes, está lindinho.
  Hoje foi só o médico colocar o aparelho na minha barriga e lá estava ele de pernonas abertas mostrando a que veio haha. Te amo muito bebezinho.







Como eu deveria estar:
Seu apetite está aumentando, porque o bebê está num estirão de crescimento e precisa de energia.
Você já deve estar se sentindo mais pesada. A cada semana essa sensação vai piorar. Por isso faça agora as compras que exigem que você bata perna por aí.
Vamos direto ao ponto: Você está inchada e retendo muita água. As chances são boas de você não conseguir colocar seu tênis ou tirar o seu anel de casamento. Suas calças não cabem; as camisas não encaixam.

Como eu estou:

  Realmente meu apetite está MUITO maior, por isso já cheguei na marca de 8 kg a mais! Graças a deus ainda sem nenhuma estria. Estou muito mais pesada mesmo, levantar e sentar é ruim, se agachar também, mas não acho que esteja tanto. Quanto ao inchaço ainda estou normal... Minha aliança cabe normalmente. Meus pés estão inchando um pouco em dias muito quentes mas não é muita coisa.
  As coisas do bebe ainda não estão completamente prontas, falta bastante coisa pra organizar ainda, não compramos o colchão do berço e várias outras coisinhas necessárias, ainda não lavei as roupinhas também nem fiz a mala da maternidade, vou deixar tudo isso pra dezembro, depois do chá de bebe. Não sei se tudo deveria estar pronto pelo fato de ter chegado aos 7 meses, mas de qualquer forma se o bebe resolvesse nascer daria tempo de ir atrás de tudo o que falta. Não estou com tanta pressa já que vou ter dezembro e janeiro praticamente inteiros só pra organizar isso.
  Estou feliz e animada, meu humor está ótimo e eu estou super calma, nem posso dizer que sou a mesma pessoa do começo da gravidez!


http://brasil.babycenter.com/
http://bebe.abril.com.br/
http://vidademulher.com.br/


domingo, 11 de novembro de 2012

O feto aprende na barriga


Imagine como seria passar nove meses trancado em uma sala escura e morna, dormindo 16 horas por dia. O lugar, apertadinho, sem ser desconfortável, é envolvido por uma marcação de tambor constante, que não pára nem durante a noite, e por um barulho esquisito de líquidos borbulhando. Você ouve, sem poder entender, conversas abafadas do lado de fora, nas quais predomina sempre uma voz feminina clara, que parece vir de todos os lados ao mesmo tempo. Não há muito o que fazer lá dentro além de brincar com o saco transparente que te embrulha e beber o líquido quase sempre doce à sua volta.

Você já passou por isso, é óbvio – durante a sua gestação. E hoje se sabe que esse período marcou você para sempre, moldando o seu jeito de ser, os seus medos e o seu humor. A velocidade daquela batida de tambor, o carinho ou o desprezo expressos nas vozes difusas, o gosto do líquido e outros estímulos mais sutis são tudo o que um feto conhece até o parto. Se essa experiência for agradável, tudo vai evoluir para uma criança tranqüila e sensível. Se não, a gravidez pode provocar distúrbios psicológicos graves, até
mesmo esquizofrenia e autismo.

O Filho entende a mãe
Desde o começo da gestação, os sentimentos e os humores maternos afetam o filho, que está exposto aos mesmos hormônios que ela. Fetos rejeitados são candidatos sérios a distúrbios de comportamento.

A sala escura onde você ficou trancado é o útero de sua mãe e a batida de tambor é o coração dela. Os borbulhos que você ouviu vêm do intestino materno. As vozes abafadas são as conversas lá fora, que chegaram até você a partir do quarto mês da gravidez, quando seus ouvidos começaram a funcionar. A voz que predomina é a da sua mãe, porque alcança seus ouvidos por dois caminhos diferentes: vinda de fora, propagada pelo ar, e transmitida pelo corpo, direto das cordas vocais dela até você.
“Para a criança, essas coisas não são simples estímulos”, diz a psicóloga Vera Iaconeli, professora da Universidade Paulista (Unip) e especializada em psiquismo fetal. “Aquilo é a vida, é tudo.” Por isso, se a gestação for desagradável, a criança já vai sair do quarto escuro com uma impressão ruim da própria existência. Segundo estudos recentes, filhos indesejados pela mãe têm maior chance de nascer esquizofrênicos ou autistas. As duas doenças têm em comum o fato de se caracterizarem pela fuga do mundo real. São uma forma de se proteger da hostilidade dos outros.
Percepção sensorial
Mas como é que os filhotes percebem que são indesejados? Telepatia? Não. É que eles estão ligados à mãe pelo cordão umbilical. Se ela fica assustada, libera substâncias que também vão agir neles. Ansiedade, nervosismo e depressão também são transmitidos quimicamente por hormônios. “Toda situação de estresse atinge o feto”, resume a neuropsiquiatra infantil Theodolinda Mestriner Stocche, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto (SP).
Um experimento do obstetra austríaco Gerhardt Reinold na década de 80 comprova o efeito da química materna sobre o filho. Reinold pediu a mulheres grávidas que se deitassem, enquanto examinava o interior de seus úteros pelas imagens de ultra-som. Ele sabia que aquela posição acalmaria os fetos, mas não contou às mães. Daí fez a maldade de dizer a elas que seus filhos, segundo o ultra-som, tinham parado de se mexer. Elas ficavam apavoradas, achando que havia algo errado, e, quase imediatamente, os fetos também se inquietavam no útero, afetados pela adrenalina liberada pela mãe. É claro que nenhum deles saberia identificar o que sentiam como medo, mas não há dúvida de que eles passaram por um susto.

Emoções transmitidas
Desconfortos passageiros, como o criado por Reinold, não provocam danos irremediáveis, é claro. Mas quando a gestante passa o tempo todo deprimida por não querer a criança, culpando-a pela guinada do destino que umagravidez pode representar, aí o feto sentirá o golpe, como se soubesse de tudo. “Ele certamente vai perceber que algo não anda bem e sofrerá”, afirma a neurologista Maria Valeriana Moura Ribeiro, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo.
Até a década passada, achava-se que só depois dos seis meses de gestação os futuros rebentos seriam sensíveis a esse tipo de estímulo. Afinal, é só no término da gravidez que as áreas do cérebro responsáveis pela memória começam a funcionar. Mas, com a sofisticação da aparelhagem de ultra-som, ocorrida nos últimos cinco anos, foi possível observar com precisão as reações intra-uterinas. Hoje, o obstetra consegue enxergar, com cores e imagens tridimensionais, até o movimento ocular do futuro bebê. Com tantas informações novas, descobriu-se que ele reage aos estímulos hormonais a partir do segundo mês de gestação.
Há quem vá ainda mais longe. O médico Eliezer Berenstein, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, acha que existe memória desde a concepção. “Mesmo antes que haja neurônios, as células devem ter alguma maneira de registrar quimicamente o que lhes aconteceu”, acredita ele. “Assim, ajudariam o embrião a não repetir experiências ruins.”

Ele está escutando tudo

Depois do quarto mês, o feto já reage a sons e ao toque e começa a criar o vínculo afetivo profundo com a mãe.

Não são só químicos os estímulos intra-uterinos que podem influir na personalidade de quem vai nascer. A partir do quarto mês, já há vários sentidos desenvolvidos, inclusive a audição. No século passado, os médicos achavam que o útero era uma cápsula acusticamente isolada do mundo. A criança ficaria então protegida de qualquer barulho que prejudicasse o seu desenvolvimento.
Nos anos 70, obstetras colocaram microfones no interior do corpo de gestantes e concluíram que os sons chegavam, sim, até lá dentro, mas que os barulhos internos da mulher eram tão fortes que pareciam abafar qualquer ruído externo, a não ser que o volume fosse muito alto. Hoje se sabe que o inquilino do útero fica bem mais protegido dos ruídos internos do que se imaginava (na verdade, os resultados anteriores tinham sido obtidos com microfones de má qualidade) e se encontra mais exposto aos sons que vêm de fora.
Conversas de carinho
Nos últimos anos, surgiram experiências com hidrofones (microfones que funcionam em meios líquidos). A conclusão foi de que as conversas de fora podem, sim, ser ouvidas, mas atenuadas pela gordura e pelos tecidos da mãe – um grito lá fora soa como um lamento em voz baixa. Os resultados apontaram outra novidade: vozes graves, como a masculina, chegam mais fortes que sons agudos, como a voz feminina.
“Quem sabe, não é um recurso da natureza para habituar a criança também à voz do pai?”, se pergunta Berenstein. “A maioria dos homens não sabe o que fazer durante a gravidez e, com medo de parecerem desajeitados ou ridículos, evitam conversar com o filho em gestação”, constata o obstetra. Ele costuma aconselhar seus pacientes a falar constantemente com o futuro filho, demonstrando carinho. É claro que ele não vai entender o sentido das palavras, mas, assim como um pequerrucho qualquer, percebe e se incomoda quando os pais estão bravos ou tristes e gosta de ser tratado com afeto.
A voz da mãe chega com relativa clareza até os ouvidos do filho. “Ele se habitua a ela”, diz a psicóloga Iaconeli. “Por isso, mesmo um recém-nascido reconhece a fala materna e se acalma com ela, o que prova que a relação foi construída durante a gestação.”
Massagem precoce
Outro sentido bem desenvolvido aos quatro meses é o tato.
“É importante massagear a barriga, tocá-la sempre, fazer o feto sentir que recebe atenção”, explica Berenstein. “Na década passada, achava-se que os bebês de proveta eram mais inteligentes”, conta. “Depois descobrimos o que causava essa impressão: como a gestação deles é assistida mais de perto por motivos médicos, recebem mais estímulos e se desenvolvem melhor.”
O ideal é que toda gestação mereça o mesmo cuidado. O psicólogo francês Jean-Pierre Lecanuet, um dos maiores especialistas mundiais nos sentidos do feto, admitiu à SUPER que “muitas das coisas que estamos descobrindo agora são uma simples confirmação daquilo que alguns pais sempre souberam”. Ou seja, que seus filhos precisam de carinho antes mesmo de vir à luz.

Pré-escola dentro do útero

Nos últimos três meses de gravidez, o bebê já percebe muito do que acontece ao seu redor. Alguns pesquisadores acham que ele até começa a apreciar música e a se acostumar com a linguagem.

Quando o bebê chega aos seis meses de gestação, tem boa parte dos sentidos de um adulto. O sistema auditivo está completo, ele já percebe diferenças de claridade, tem tato no corpo inteiro, além de paladar e olfato. Por isso, alguns acontecimentos traumáticos nessa fase podem ficar em sua memória inconsciente. “No final da gestação, o feto é mais esperto do que o recém-nascido”, diz Vera Iaconeli.
É que, boiando no líquido amniótico, ele consegue se mover com mais facilidade do que depois de nascer, quando seus membros lhe parecem pesados demais.
Prazer e aversão
“Nessa fase, o bebê suga, chupa o dedo, mexe as pálpebras, soluça, brinca com o cordão umbilical”, enumera Maria Valeriana, da Unicamp. “Às vezes, ele também chora.” Os modernos aparelhos de ultra-som descobriram que, além de tudo isso, ele começa a sorrir quando algo o agrada e demonstra claramente quando sente aversão. Se a mãe come um quitute diferente, com um toque muito amargo, o líquido amniótico fica amargo também e a fisionomia do feto deixa claro que ele não gostou nada da receita exótica.
O ultra-som também revelou, pelo movimento ocular, que o feto sonha. “Ele passa 16 horas por dia dormindo e sonha durante 65% desse tempo”, diz o neurologista Rubens Reimão, especialista em distúrbios do sono. Não se sabe bem com o que ele sonha. Provavelmente, repassa o que passou durante as breves vigílias. “O final da gestação é a época em que se estabelece a maior quantidade de sinapses, as transmissões entre um neurônio e outro”, prossegue Reimão. “E, para que elas se formem, é preciso estímulo. O sonho é um momento de atividade intensa do cérebro, que favorece a criação das sinapses.” É uma etapa fundamental para a inteligência – quanto mais estímulos, melhor.
Ensino acelerado
Quer dizer então que o feto cursa uma espécie de pré-escola na barriga da mãe? Em termos, sim. “Já foi mostrado que o recém-nascido prefere e se acalma com músicas que ouviu durante a gestação”, diz Berenstein. “Acredito que a sensibilidade musical possa começar a se formar dentro do útero.”
Há histórias impressionantes, como a do maestro canadense Boris Brott, que, quando criança, estranhava a facilidade com que aprendia trechos de algumas obras. Comentou isso com a mãe, que era violoncelista, e ela lhe disse que esses trechos eram exatamente aqueles que ela tocava enquanto estava grávida e não voltou a executar depois. Também é possível que a habilidade lingüística comece a ser adquirida na fase final da gestação. As mães que conversam com o feto estariam habituando-o ao ritmo e à musicalidade da língua. “Há relatos de crianças que passaram a gravidez em um país estrangeiro, onde a mãe falava outro idioma, e depois tinham dificuldade em aprender a língua pátria”, conta Maria Valeriana.
Ainda não se sabe o quanto se pode aprender no útero. Mas não há dúvida de que, ao sair da sua salinha escura depois de nove meses, você já nasceu sabendo ser o que é. Ao menos um pouco.

Aos dois meses

O feto percebe o mundo fora do útero.

Os nervos começam a chegar aos pés, mãos e genitais. O bebê vai ter as primeiras sensações táteis e começa a sentir o contato com a mãe.

Há neurônios, mas muitos estão isolados uns dos outros. O bebê não ouve nem vê, mas já sofre com a ansiedade materna.

Aos quatro meses

O cérebro começa a decifrar os sentidos.
Boa parte das células nervosas já está formada e transmite impulsos nervosos, como os produzidos pelo tato e pela audição.

Já há nervos em quase toda a pele. O feto já sente prazer com a massagem de carinho que a mãe faz na própria barriga.

Aos seis meses

Quase todos os sentidos funcionam.

O bebê tem receptores táteis em toda a pele e em grande quantidade. Já chora e quase sorri.

cérebro recebe impulsos nervosos vindos de todas as partes do corpo, transmitindo todos os tipos de sensações.

Os primeiros estímulos visuais permitem que o feto distinga claro e escuro.

O bebê já sente o gosto e o cheiro do líquido amniótico que o envolve.

audição está totalmente pronta e as vozes lá fora vão habituá-lo à língua.


Must have






Se alguém quiser me presentear fico grata ahaha :)



sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Uma doce espera

A preocupação, a ansiedade, o amor, o carinho. A preparação, arrumar as roupinhas, bordar uma toalhinha, lavar os forros de cama. Comprar um cobertorzinho novo, ganhar um presentinho, sentir o cheiro de produtos de bebe. Planejar o chá de fraldas, conversar com a barriga, sentir os chutinhos e os soluços. Ouvir o coração pela primeira vez, descobrir o sexo, saber que tudo vai bem. Ficar com medo naquele dia em que o bebe resolve não mexer. Ler pra ele. Colocar uma música pra ele ouvir. Ver a carinha dele no ultrassom.
  Gravidez tem muita coisa chata, a barriga pesa, as costas doem, a azia incomoda, mas nada se compara com a delícia de estar esperando a pessoa mais importante da sua vida.

Te amo Nicolas.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Amamentação - Colostro

  Gente, fala sério que coisa nojentinha esse colostro, não? Sei lá... eu acho.  Comecei a ter colostro com 16 semanas e depois dos 5 ou 6 meses (não lembro bem) tenho a ponto de acordar molhada quase todos os dias. Essa noite foi uma das piores: molhou até a cama! Meu habito de tirar o sutian para dormir foi por água a baixo.
  No começo era só uma águinha transparente e viscosa tipo aquela que sai do nariz quando a gente ta chorando (delicadeza mil), já agora é transparente com pontinhos brancos e amarelados, que aprecem pus (ah, qual é? essa é a aparência mesmo!!). Eu e o Jean ficamos muito contentes e vez ou outra quando não vaza vou la apertar pra ver se ainda tem, vai que acaba? haha. É bobeira mas tanto eu quanto ele temos medo disso, nada a ver né? Um dia ele também comentou: "vai que o colostro vira leite e o bebe não recebe os nutrientes que precisa??". Pai e mãe de primeira viagem, quer o que?

Acho o fato de amamentar muito importante e espero muito por isso, tenho uma grande vontade de amamentar, sei que é importante pro bebe. Talvez eu espere mais pela amamentação que pelo parto, por isso ter colostro é um alívio, até que eu achei:

Aparentemente não há nenhuma relação entre esse fato e a quantidade de produção de leite depois que o bebê nasce. 

mimimi... mas não vou me preocupar ainda, deixar pra me preocupar na hora.


Nos primeiros dias após o parto, os seios produzem um líquido fino - amarelo ou esbranquiçado, semelhante à água-de-coco - chamado colostro. Esse primeiro leite contém água, proteínas, sais minerais e, principalmente, anticorpos conhecidos como imunoglobulinas, que fortalecem o sistema imunológico do bebê, protegendo-o de infecções e viroses. É como se fosse a primeira vacina que a criança recebe.

Por sua consistência viscosa e bastante fluida, muitas mães se assustam e acham que o leite é fraco. "O colostro tem uma alta quantidade de proteínas e fornece ao bebê as defesas necessárias em seus primeiros momentos de vida"


:) Beijos

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Chá de bebe - Convites - Custos

Eu mesma fiz os convites do chá e mandei revelar em papel fotográfico 10x15, comprei envelopes e fiz umas tags para colar.

Os gastos para 26 convites foram:

14,30 na impressão
7,80 nos envelopes
0,60 cola bastão
1,50 caneta gel
1,65 impressão das tags

O total gasto com convites personalizados foi: R$ 25,85
O gasto foi de em média R$ 1,00 por unidade





Achei que valeu bem a pena... esses foram os primeiros que eu fiz e ficaram mais feinhos, rs, os outros ficaram melhor. Adorei o resultado! O tema do chá vai ser Ursinho Marinheiro.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

7 meses e o começo do terceiro trimestre


    Hoje completo 27 semanas e inicio a 28, começando o terceiro e último trimestre. Nem acredito que cheguei até aqui... Tudo isso que parecia um sonho, uma divagação está se materializando. 
    Sempre que lia ou que me falavam que gravidez era ruim que era isso ou aquilo, que no final a gente sofria muito, que eu ia sofrer com o calor eu não colocava muita fé. Por quê? Simples, minha gravidez sempre foi muuuuuito tranquila! Nos primeiros meses tive um pouco de sono e alterações de humor, isso até completar 12 semanas apenas, depois nem isso tinha. Confesso que tinha azia vez ou outra, mas tudo era muito bom, eu não estava engordando, minha pele e meu cabelo estavam cada dia mais lindos, todos eram simpáticos comigo, estava disposta e bem humorada, como falei num post estava me sentindo plena e o melhor: não havia ganhado uma grama até completar 4 meses!! Aí tudo isso passou, de 4 pra 5 meses ganhei 3 kg, achei que fosse normal pois como fiquei internada tomando muito soro e só deitada comendo kk tinha achado explicação nisso, aí de 5 pra 6 engordei mais 3 kg! Como pode?? estou comendo normal... Não sei o que esta acontecendo, mas estou embarangando de vez, minha pele está com espinhas, meu rosto um pouco inchado, meu cabelo está mais feio, estou ganhando peso e to com uma fome que meu deus, se no começo da gravidez eu me obrigava a comer pelo bem do bebe agora estou me obrigando a parar de comer pelo meu próprio bem! Como podem as coisas mudarem tanto? Minha barriga está pesada, até levantar da cama já é ruim, ainda não quero reclamar pois sei que vai piorar, mas e pra se agachar então? meu deus, nem sentar com as pernas cruzadas não é mais confortável... E aquelas poucas calças jeans que serviam? Não existem mais... Só leg. Caminho uma quadra e já fico ofegante, até tomar banho é exaustivo. Além do fato de eu acordar molhada de colostro quase todo dia. Sem comentar da azia, to fugindo de frituras! E ainda que nem comecei a falar do calor! Sério, o que me falavam é verdade, grávida no calor SOFRE! E ainda que eu NÃO INCHEI até agora, graças a Deus. O problema é que a gente sente muito mais calor, ontem foi um inferno pra mim, minha pressão já é baixa naturalmente 10/6 quando esquenta muito cai lá em baixo, eu mal conseguia ficar em pé, isso que fiquei o dia todo dentro de casa com ventilador, unica hora que sai foi pra ir na sorveteria e quase morri, tontura, moleza, mal estar, dor de cabeça, dor nas pernas. Terrível, e meu humor em resposta fica péssimo, me sinto uma velha chata!! Hoje está mais fresco então meu humor melhorou.
  Bem, outras coisas mudaram também, agora que o dia do meu bebe nascer se aproxima estou tentando ser fiel o máximo possível a preparação do meu corpo e de tudo para o parto e pós parto: faço exercícios de Kegel diariamente (esta a cada dia mais difícil por conta do peso do útero), estou fazendo fisioterapia para gestantes para ajudar no parto, pós parto e na gestação em si 2 x por semana e fazendo hidroginástica fielmente há 2 meses 2 x por semana também. Tenho tentado tomar sol nos seios pelo menos 5x por semana e esfregado buchinha vegetal... Também estou me enchendo de cremes e óleos, não sei se adianta algo, mas estou tentando hehe.  A partir de hoje volto com as minhas caminhadas diárias independente do calor, não posso mais ganhar tanto peso!! 
  Agora faltam 13 semanas ou menos para o meu bebe estar aqui, da pra acreditar? Estar gravida é um saco, mas fico feliz que tudo esteja correndo bem e que ele venha no seu tempo certinho... A médica falou que ele vai ser grandão pois em 4 semanas minha altura uterina aumentou 6 cm, estou super orgulhosa :) 
  E graças a deus minha linha nigra esta super fraquinha nem da pra ver e meu umbigo apesar de esticadinho não saltou! Apesar de ficarem falando que minha barriga está muito grande, nem ligo, tá mesmo, e daí? meu bebe é grande, o importante é ele se desenvolver direitinho.... 
  No final estou muito alegre e contente! O meu bebe esta bem, e eu, apesar dos pequenos incômodos estou bem também! Não estou me sentindo gorda, apesar de já ter engordado 6 kg e meio e estou feliz com a nova forma do meu corpo, posso falar a verdade? Acho minha barriga linda e adoro sentir o meu bebezinho chutar!! 
  É isso aí, com os prós e contras o resultado tem sido positivo, mais uma semana vencida! Beijos e até mais :*



sábado, 3 de novembro de 2012

Cuidado: Homens trabalhando!

Feriadão e os homens aqui de casa tiraram pra finalizar algumas coisas no quartinho do Nicolas, na verdade meu e do Nicolas por enquanto :)

Jean resolveu montar a cômoda, finalmente né amor? hahaha




E meu pai fixou o quadrinho do Nicolas, que ficou em cima do berço.



Por aqui é assim, cada um ajuda no que pode, e pouco a pouco tudo está ficando pronto para a chegada do nosso príncipe